Cadastre-se aqui para receber artigos semanais e ganhe meu ebook!   ASSINAR              


PODCASTS

Media Training e Comunicação Pessoal | Aurea Regina de Sá

Sessão 2 – Angelo

Angelo,

Fico realmente feliz por estar dentro do processo de auto investigação e se conhecendo mais e melhor. Vou te ajudar ainda mais com uma ferramenta de Programação Neurolinguística que vai fazer muita diferença no resultado geral. Para usá-la, é importante estar no AGORA (mais abaixo eu te dou dicas para se aprofundar nisso).

1.Então, para que tudo isso funcione da melhor forma, mantenha-se alerta quanto aos movimentos da mente. A mente pode ser uma grande aliada ou nossa inimiga. O que você escolhe?

Confira a dinâmica de Programação Neurolinguística que compartilhei com você na última sessão para ajudar na administração das sensações a partir do filtro dos pensamentos. Mas, antes focalize o pensamento que quer usar para substituir aquele negativo que não tem ajudado você. Se quando está exposto, o pensamento que vem é algo como: ‘vão me julgar, será que vão me aprovar?’ ou ‘tenho que ser perfeito’, então escolha trocar esse pensamento ENFRAQUECEDOR por um FORTALECEDOR. Qual seria esse pensamento novo? Mantenha esse novo pensamento na frente e preste atenção em como tudo acontece.

FERRAMENTA DE PROGRAMAÇÃO NEUROLINGUÍSTICA: ‘instale’ em você a programação que desejar ( já que a mente é uma máquina) e insira pensamentos e lembranças que trazem ALEGRIA, SEGURANÇA, AUTOCONFIANÇA, PROSPERIDADE, UNIÃO, AFETO, GRATIDÃO e o que mais você quiser.  Faça isso quantas vezes quiser. Use a estratégia como uma ÂNCORA.  FUNCIONA ASSIM: lembre-se, por exemplo, das sensações que teve durante uma situação vitoriosa e mantenha isso vivo em você. Use esse tesouro (as sensações de alegria, satisfação, confiança, segurança – identifique e nomeie os sentimentos) toda vez que vivenciar uma situação que considera tensa. Ao reativar isso em você, estará preparado para lidar melhor com as emoções ‘negativas’ que surgirem e que talvez venham em menor intensidade, porque você colocou na frente o que interessa, ou seja: sentir-bem, aproveitar a oportunidade, se relacionar melhor, se expor adequadamente.

Procure fazer esse exercício e perceba o que sente.

2.  Com a percepção mais ativada, você vai aproveitar muito o filme DIVERTIDAMENTE e observar os sentimentos apresentados na história para perceber a forma como os SEUS sentimentos atuam em VOCÊ. Faça anotações que achar pertinentes para comentar comigo.

Obs.: Se precisar de legenda em português, abra o vídeo, clique no símbolo de ⚙ ENGRENAGEM (no canto inferior direito, à esquerda do nome YOUTUBE)>LEGENDAS>TRADUZIR AUTOMATICAMENTE>PORTUGUÊS.

3. Depois de assistir ao filme e refletir sobre como os seus sentimentos atuam em você, poderá ler esse artigo que eu escrevi e que aprofunda a questão e, inclusive propõe alguns exercícios. O vídeo do Eckart Tolle sobre o ESTAR NO AGORA está entre as tarefas propostas no texto. Esse conferencista e estudioso alemão nos desperta para a consciência do que é real, um profundo conhecimento que nos leva a um estágio mais profundo de entendimento. Considerando que a nossa comunicação é fruto de quem somos, esse conhecimento é muito valioso.

Tolle é autor de O Poder do Agora e de Um Novo Mundo , que você pode baixar clicando nos links.  Sugiro que leia um capítulo por dia para absorver todo o conteúdo e aplicar na sua vida, se considerar que faz sentido.

4. Agora que teve acesso a todos esses materiais, acredito que vai fazer mais sentido conferir os 6 passos para o controle emocional:

SEIS PASSOS PARA O CONTROLE EMOCIONAL (esse exercício é bem amplo)

1) Identifique o que você realmente sente quando se apresenta em público ou dá entrevistas:

Para ajudar, faça as seguintes perguntas pra si mesmo:
“O que estou realmente sentindo neste momento?”
Quando tiver a resposta, pergunte de novo para se aprofundar mais. Imagine que respondeu: ‘estou me sentindo inseguro’. Então, se pergunte: “Estou realmente me sentindo inseguro? Ou é outra coisa? Se é outra coisa, que nome esta emoção tem?
E, principalmente, investigue de onde veio essa emoção, como ela começou.

2) O que você poderia fazer para baixar a intensidade desta emoção? O que teria que pensar diferente? O que você ganharia com isso?
– Em primeiro lugar, reconheça e aprecie suas emoções, elas são parte de você. Cultive o sentimento de apreciação por todas as emoções, e como uma criança que precisa de atenção, vai descobrir suas emoções se “acalmando”, quase que no mesmo instante.
– Seja grato por existir uma parte do cérebro que lhe envia um sinal de apoio, um chamado à ação para efetuar uma mudança, em sua percepção de algum aspecto da vida, ou em suas ações.
– Procure não BRIGAR com a emoção: ‘medo, o que você está fazendo aí, seu idiota!’

3) Seja curioso sobre a mensagem que a emoção está lhe oferecendo: ficar curioso ajuda você a dominar a emoção, resolver o desafio, e evitar que o mesmo problema ocorra no futuro!

Para essa investigação, faça as seguintes perguntas:

–  O que eu quero realmente sentir?
–  Em que venho acreditando para me sentir como venho me  sentindo?
– O que estou disposto a fazer para criar uma solução e dominar a situação agora?
–  O que você aprendi com isso?

4) Seja Confiante! Lembrar uma ocasião em que sentiu uma emoção similar e compreender que você já teve sucesso ao controlar essa emoção antes. Como a controlou no passado, com certeza pode também controlá-la hoje.

– O que você fez no passado?
–  Onde pôs o seu foco?
– Quais as perguntas você se fez naquela oportunidade?
– Quais foram suas percepções?
–  Quais ações foram diferentes?

5) Tenha certeza de que poder controlar a emoção não apenas hoje, mas também no futuro:
– Enumere três ou quatro estratégias para mudar sua percepção quando ocorrer um sinal de ação
– Quais os meios para mudar agora a maneira como comunica seus sentimentos e necessidades?
– Quais os meios para mudar as ações que adota nessa situação específica?

6) Fique animado e entre em ação agora
a) Fique animado por saber que pode dominar com facilidade a emoção e efetue uma ação imediata para provar que a controlou.
b) Expresse-se pelo uso do que ensaiou interiormente para criar uma mudança em suas percepções ou ações.

**** Vale a leitura do texto que publiquei no meu site na semana passada. Leia aqui.

5. Lembre-se de preencher a Lista de Auto Poder da sessão 1 e reflita sobre seus pontos positivos.

6. Para entender como usar a técnica de Comunicação Não Violenta, em situações tensas, ouça o arquivo abaixo. Esse material é parte das dicas diárias que ofereço gratuitamente. Para receber também, baixe o app Soundcloud no seu celular e siga o meu canal: www.soundcloud.com/aureareginadesa (antigamente, eu enviava os áudios pelo whatsapp, mas não faço mais isso, porque a lista cresceu muito).

Se você se interessou pelo tema, leia o livro COMUNICAÇÃO NÃO VIOLENTA.

Confira o feedback da sua entrevista coletiva:

DISCURSO:
Na pergunta da repórter, você respondeu: ‘isso provavelmente acontece numa próxima sessão a ser designada pela comissão’. Provavelmente? Isso faz parte do processo, certo? Então, acontecerá de qualquer jeito.

RELAÇÃO COM O REPÓRTER:
Em uma coletiva, mesmo que só haja uma emissora de tv, olhe para todos os jornalistas.  Distribua o olhar para todos.

VESTIMENTA
A cor muito clara não favorece a sua imagem. Procure usar cores que contrastem com a cor da sua pele e também o cenário.

CENÁRIO DA ENTREVISTA:
Muito bom usar a tapadeira com o logotipo da Prefeitura, entretanto, a mesa não ajuda ninguém. Se não vai sentar atrás da mesa, sugiro tirar o móvel que fica entre o entrevistado e os repórteres e que atrapalha o trabalho deles.

Obrigada e bom trabalho.

→ PRÓXIMA SESSÃO: dia 30 de abril de 2018, às 8h.

Ir para a sessão 3                                                                                                         VOLTAR

AUREA REGINA DE SÁ

Jornalista e Coach de Comunicação, especializada em Media Training.

Saiba mais

Podcast FALA MALDITA

Aurea na imprensa