Cadastre-se aqui para receber artigos semanais e ganhe meu ebook!   ASSINAR              


PODCASTS

Media Training e Comunicação Pessoal | Aurea Regina de Sá

Sessão 3 – Gabriel

Gabriel,

Para avançar ainda mais, vamos aprofundar o exercício de autoconhecimento e trabalhar algumas questões que vão fazer efeito imediato na sua forma de se Comunicar:

A prática da boa conversa se dá pela conexão, por que como diz John Maxwell, autor de TODOS SE COMUNICAM, POUCOS SE CONECTAM, se comunicar é muito pouco; devemos nos conectar. Obs.: esse é o meu livro preferido. De todos que já li esse realmente me fez entender o que significa se comunicar bem.

Sugiro que leia especialmente o capítulo 6 (baixe aqui) e, depois com calma, pode ler o livro todo (baixe na página principal da sua área restrita). Você pode colocar em prática o que ele propõe e alguns conhecimentos podem ser úteis nesse laboratório:

1. O olho no olho com interesse em ouvir o outro (isso significa não desviar o olhar enquanto fala com o outro. Não use isso só para os momentos com jornalistas, a proposta é que haja assim o tempo todo em todas as suas relações);

2. A escuta realmente ativa, focado no outro. Não basta só ouvir, tem que escutar (ouvir é quando o som é captado pelo ouvido; escutar é prestar no que ouve);

3. A prática do rapport, o espelhamento das manifestações do outro:
– expressão corporal: gestos, movimentos em geral
– expressão verbal: ritmo da fala, alternância ou monotom e conteúdo: tipos de palavras.

Neste comercial, em que situações você percebe o rapport:

4. Empatia: colocar-se no lugar do outro para observar e sentir o que ele pense e sente.

No final das contas, empatia e rapport estão muito próximos, ou seja, você só entra em rapport com o outro se tem empatia e é por que tem empatia que entra em rapport. Fique atento para praticar isso no seu dia a dia e perceba como o outro recebe você.

O segredo para iniciar esse estágio de conexão é estar presente, estar no agora, como ensina Eckart Tolle:

Outra leitura que vou te propor é o capítulo 3 do livro A CORAGEM DE SER IMPERFEITO, de Brené Brown. Você pode fazer o download aqui. Lembre-se de registrar o que foi impactante pra você pra comentar comigo durante a sessão.

Abaixo, está o meu feedback quanto à sua entrevista durante o Media Training que fizeram na empresa:

I. FORMATO DA ENTREVISTA
– Infelizmente, o enquadramento escolhido para a gravação da entrevista foi equivocado. O cinegrafista nunca deve se posicionar desta forma e sim ao lado do repórter. Viu como você ficou de lado o tempo todo? Sim, você deve olhar diretamente para o repórter, mas a câmera deve estar próxima da sua visão 

(veja a posição correta na foto ao lado. A moça é a entrevistada). Como isso está fora do seu controle, enquanto entrevistado, não há o que fazer, mas fiz questão de te orientar para que entenda como é a dinâmica correta.

II. DINÂMICA DA ENTREVISTA
– Não diga bom dia ou boa tarde se o repórter não disser. Em gravações que ainda serão editadas, o cumprimento será eliminado. No ao vivo, fica estranho dizer se o repórter não diz, porque parece que você está dizendo (seu mal educado, bom dia, né? rsrsrs)

III. DISCURSO
– Evite fazer perguntas durante a sua resposta. Você, enquanto entrevistado, só responde e o repórter pergunta. No trecho em que o repórter pergunta: ‘Por que  tá acontecendo?’, você responde: ‘o que acontece?’. Vá direto à resposta.
– No trecho a seguir você explica detalhes deeeeeeesde o início e depois de te ouvir, o repórter faz a conclusão: ‘+ pressão, + água na tubulação, e a tubulação antiga não aguenta? Perceba que ele te ajudou a resumir, enxugar o texto e essa é a dinâmica que você deve usar, porque tem situações em que você não precisa explicar a história desde o início. Fale só o que interessa. Coloque-se no lugar do telespectador pra perceber o que ele precisa saber para ter o entendimento necessário.

IV. EXPRESSIVIDADE CORPORAL
– Sua gesticulação foi o tempo todo variada e casada com a fala. Muito bom!
– Evite mexer as mãos enquanto ouve a pergunta. O melhor é manter os braços ao lado do corpo, enquanto ouve a pergunta. Alguns movimentos como coçar uma das mãos, mexer na aliança ou qualquer outro gesto repetitivo pode passar a ideia de ansiedade.

V. VOCABULÁRIO
– Evite a palavra PROTOCOLAR, é muito formal. Use registrar o pedido.
– Sobre o trecho ‘zero de hidrometração’ é melhor dizer de outra forma. O seu Zé que não terminou o quarto ano do Primário entenderia isso?

VI. VESTIMENTA
– A estampa xadrez é muito informal. No cargo de diretor, você pode preferir cores lisas, sempre de manga comprida, mesmo que dobre as mangas por causa do calor.

VII. EXPRESSIVIDADE VERBAL
– Sua dicção é muito boa
– Velocidade da fala também é adequada
– No trecho ‘e agora Águas de Timon’, evite essa junção da preposição COM + o artigo A. O correto é com a e não cá.  Se o artigo que vem depois da preposição COM é masculino, vai ficar bem feio você dizer: CO OU CU. Exemplo: ‘Eu fui cu meu pai no shopping’.

PRÓXIMA SESSÃO: 7 de maio, às 8h (horário de Brasília).

VOLTAR

AUREA REGINA DE SÁ

Jornalista e Coach de Comunicação, especializada em Media Training.

Saiba mais

Podcast FALA MALDITA

Aurea na imprensa