Cadastre-se aqui para receber artigos semanais e ganhe meu ebook!   ASSINAR              


PODCASTS

Media Training e Comunicação Pessoal | Aurea Regina de Sá

Sessão 6 – Marco

Marco,

Um pouco mais sobre a Síndrome do Impostor:

  • SÍNDROME DO IMPOSTOR

A síndrome ou fenômeno do impostor foi identificada pela psicóloga norte-americana Pauline Clance, na década de 70. Trata-se do sentimento de não se achar bom o suficiente, não é bonita ou inteligente o suficiente para ocupar um determinado status social/profissional, o que gera um intenso sofrimento, por causa da ansiedade e do estresse. Ao supervalorizar as fraquezas, essas pessoas sentem dificuldade de se sentir merecedoras de qualquer sucesso que possam ter, e esperam o momento que sua incompetência será descoberta. É a sensação de ser uma FRAUDE.

As características principais dessa síndrome são:

  • Desempenho profissional diferente do esperado:  pessoas com a síndrome costumam ou fazer mais do que o esperado, se esforçando demasiada e desesperadamente para driblarem as limitações que acreditam ter; ou fazem menos, na tentativa de evitarem a constatação, diante do fracasso que para elas é inevitável, de que são realmente incompetentes;
  • Procrastinação: há um esforço inconsciente para se livrar/ distanciar da angústia de se engajar em uma atividade que levará ao “inevitável” fracasso. Dessa forma, essas pessoas perdem os prazos e sentem-se “travadas” na criatividade e iniciativa;
  • Fuga de exposição: o pior cenário para quem se sente impostor é a exposição. Pelo medo do julgamento e da crítica, essas pessoas procuram ficar sempre em uma posição de discrição, mesmo em situações que sejam relacionadas com o reconhecimento de seus trabalhos, como  por exemplo, a oportunidade de apresentarem um grande ideia em uma reunião.
  • Uso excessivo da carisma: por acreditarem que não estão no cargo por competência, essas pessoas sentem a necessidade de agradar a todos no trabalho, sujeitando-se inclusive a situações de humilhação.

EXERCÍCIO:

Convido você a refletir sobre isso e, caso se identifique, reverta cada situação, imaginando como se sentiria caso fosse diferente.

  • O PREÇO DA VERGONHA, com Monica Lewinsky:

Exercício: o que você aprendeu com este vídeo?

PRÓXIMA SESSÃO: Dia 30 de agosto, às 9h.

AUREA REGINA DE SÁ

Jornalista e Coach de Comunicação, especializada em Media Training.

Saiba mais

Podcast FALA MALDITA

Aurea na imprensa